DA (IN)APLICAÇÃO DA LEI 12.403/2011 E SEUS EFEITOS NA POPULAÇÃO PENAL BRASILEIRA

Almir Santos Reis Junior, Jéssica Bedin

Resumo


DA (IN)APLICAÇÃO DA LEI 12.403/2011 E SEUS EFEITOS NA POPULAÇÃO PENAL BRASILEIRA

 

THE (IN)EFFECTIVITY OF THE ACT 12.403/2011 AND ITS EFFECTS IN THE ENCACERETED POPULATION IN BRAZIL

 

Data da submissão: 05/06/2020

Data da aprovação:  04/07/2020

 

RESUMO: A relevância no estudo da população carcerária é medida que se impõe para averiguar se a resposta penal coaduna com as ações processuais de restrição da liberdade humana. Em razão disso, o presente estudo objetiva abordar as inovações legislativas trazidas pela Lei 12.403/2011, uma vez que o seu advento foi um marco de uma evolução no processo penal, pois se concebeu a prisão cautelar como exceção no curso da persecução penal, em compasso com o princípio constitucional da presunção de inocência. Utilizou-se o método hipotético-dedutivo para o desenvolvimento deste trabalho, que consistiu no levantamento bibliográfico  de doutrinas e leis, além da análise indutiva por meio das estatísticas relativas à população carcerária brasileira.Os resultados deste estudo indicaram, que embora tal diploma legal tivesse a missão de desafogar o sistema carcerário, na prática isso não ocorreu, considerando a realidade do elevado número de pessoas no cárcere cautelar, à revelia da lei processual.

 

Palavras chave: prisão; liberdade; cautelares; ativismo; Lei 12.403/2011.

 

ABSTRACT: The relevance in the study of the prison population is a measure imposed to ascertain whether the criminal response is consistent with the procedural actions of restricting the human freedom. In view of this, the present study aims to address the legislative innovations arising from the Law 12.403/2011, since its advent was a milestone on the criminal processevolution, as preventive detention was conceived as an exception in the course of criminal prosecution, in agreement with the constitutional principle of the presumption of innocence. The hypothetical-deductive method was used for the development of this work, which consisted of a bibliographic review of doctrines and laws, in addition to inductive analysis using statistics related to the Brazilian prison population. The findings of this study indicates that although the legal diploma had the mission of relieving the prison system, in practice this did not occur, considering the reality of the high preventive prison, in opposition of the procedural law.

 

Keywords: prison;freedom; preventive; activism; Law 12.403/2011.


Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

ALEXY, Robert. Teoria dos direitos fundamentais. São Paulo: Malheiros, 2008.

BADARÓ, Gustavo Henrique. Processo penal (livroeletrônico). 5. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2019.

BARROS, Romeu Pires de Campos. Processo penal cautelar. Rio de Janeiro: Forense, 1982.

BECCARIA, Cesare. Dos delitos e das penas. Tradução de Lucia Guidicine e Alessandro Berti Contessa. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BELING, Ernst. Derechoprocesal penal. Barcelona: Labor, 1943.

BIANCHINI, Alice. Prisão e Medidas Cautelares: Comentários à Lei 12.403/11. 2ª ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2011.

BRASIL. STF. Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental 347/DF, rel. Min. Marco Aurélio. Inteiro teor do acórdão. Disponível em: . Acesso em 13 ago. 2019.

CAPPELLETTI, Mauro. Processo, ideologias e sociedade. Tradução de Elicio de Cresci Sobrinho. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris Editor, 2008. v. I.

CARVALHO FILHO, Luiz Francisco. A prisão. São Paulo: Publifolha, 2002.

CHOUKR, Fauzi Hassan. Processo penal de emergência. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2002.

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. Painel Banco Nacional de Monitoramento de Prisões. Disponível em: Acesso em: 12 ago. 2019.

______________. Estatísticas sobre Audiências de Custódia Nacional. Disponível em: . Acesso em 27 de abril de 2020

DELMANTO, Fabio Machado De Almeida. Medidas substitutivas e alternativas à prisão cautelar. Rio de Janeiro: Renovar, 2008.

DEPARTAMENTO PENITENCIÁRIO NACIONAL. Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias. Disponível em:. Acesso em 27 de abril de 2020.

DEZEM, Guilherme Madeira. Curso de Processo Penal. 6. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2020.

DEZEM, Guilherme Madeira; SOUZA, Luciano Anderson de. Comentários ao Pacote Anticrime. Revista dos Tribunais, 2020.

DINAMARCO, Cândido Rangel. A instrumentalidade do processo. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1987.

FERRAJOLI, Luigi. Direito e razão. Tradução de Ana Paula Zomer et al. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2002.

FOUCAULT, Michel. A Sociedade Punitiva. Curso no Collège de France (1972-1973).São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2015.

___________. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 25. ed. Petrópolis: Vozes, 2002

GOMES FILHO, Antonio Magalhães et. al. Medidas cautelares no processo penal: prisões e suas alternativas: comentários à Lei 12.403, de 04/05/2011. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2011.

GRECO, Rogério. Curso de direito penal.12. ed. Rio de Janeiro: Impetus, 2010.

GRINOVER, Ada Pellegrini. O processo em evolução. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1998.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. A aplicação de penas e medidas alternativas – Relatório de pesquisa. Disponível em: < http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/relatoriopesquisa/150325_relatorio_aplicacao_penas.pdf >. Acesso em 26 de abril de 2020.

INSTITUTO SOU DA PAZ. O impacto da lei das cautelares nas prisões em flagrante na cidade de São Paulo. Dir. Luciana Guimarães e Melina Risso. São Paulo: 2014.

JAKOBS, Günther. Fundamentos do direito penal. Tradução de André Luís Callegari. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2002.

LOPES JUNIOR, Aury; GLOECKNER, Ricardo Jacobsen. Investigação Preliminar no Processo Penal. São Paulo: Saraiva, 2014.

LOPES JUNIOR, Aury. Prisões Cautelares. 5. ed. São Paulo: Saraiva, 2017.

MARCÃO, Renato. Prisões Cautelares, Liberdade Provisória e Medidas Cautelares Restritivas. 2. Edição. Editora Saraiva, 2012.

MORAES, Maurício Zanoide de. Presunção de inocência no processo penal brasileiro: análise de sua estrutura normativa para a elaboração legislativa e para a decisão judicial. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2010.

NICOLITT, André. Processo Penal Cautelar: Prisão e demais medidas cautelares. 2. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2015.

NUCCI, Guilherme de Souza. Manual de Processo Penal e Execução Penal. 5. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2008.

OLIVEIRA, Fábio Corrêa Souza de. Por uma Teoria dos Princípios – O Princípio Constitucional da Razoabilidade. Rio de Janeiro, Lumen Juris, 2003.

PACELLI, Eugenio. Curso de Processo Penal. 22. ed. São Paulo, Atlas, 2018.

PIOVESAN, Flávia. Direitos humanos e o direito constitucional internacional. 7. ed. São Paulo, Saraiva, 2006.

ROXIN, Claus. La evolución de La política criminal, elderecho penal y elproceso penal. Tradução de Carmen Gómez Rivero e Maria Del Carmen Garcia Cantizano. Valencia: Tirant ló Blanch, 2000.

TÁVORA, Nestor; ALENCAR, Rosmar R. Curso de Direito Processual Penal. 12ª ed. Salvador: Juspodivm, 2017.

ZAFFARONI, Eugenio Raul. A palavra dos mortos. Conferências de criminologia cautelar. São Paulo: Saraiva, 2012

ZAFFARONI, Eugênio Raúl; PIERANGELI, José Henrique. Manual de direito penal brasileiro: parte geral. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1997.




DOI: https://doi.org/10.47096/rdpc.v1i2.108

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Revista de Direito Público Contemporâneo

Licença Creative Commons

A revista está licenciada quanto aos direitos autorais com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Indexada em | Indexed by | Indizada en:

Google Acadêmico

HTML tutorial
Periódicos/CAPES

HTML tutorial
 
 
Directory of Open Acess Journals


HTML tutorial


Diadorim - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras

Livre - Revistas de Livre Acesso

International Standard Serial Number International Center

Sumários

ResearchBib - Academic Resource Index