PROVA JUDICIAL E VERDADE PROCESSUAL: UM ESTUDO SOB A PERSPECTIVA DA TEORIA DO CONHECIMENTO

Samara de Oliveira Pinho

Resumo


JUDICIAL PROOF AND PROCESSUAL TRUTH: A STUDY FROM THE KNOWLEDGE THEORY PERSPECTIVE 

RESUMO: Este trabalho tem por objeto o estudo a compreensão da prova judicial e da respectiva verdade probatória, à luz da teoria do conhecimento e sua repercussão na Ciência Jurídica. Nesse sentido, busca-\se de colaborar com um refinamento teórico das práticas adotadas no campo da legislação processual civil em relação à interpretação e aplicação do instituto da prova judicial. Para tanto, realizar-se-á levantamento bibliográfico de obras e artigos de períodos quanto à temática, com fins de oferecer elementos para uma análise crítica, apresentado os respectivos resultados.

PALAVRAS-CHAVE: Prova Judicial; Verdade; Epistemologia; Processo Civil.

ABSTRACT: This study aims to study the understanding of judicial evidence and the respective evidential truth, in light of the theory of knowledge and its repercussion in Legal Science. In this sense, we seek to collaborate with a theoretical refinement of the practices adopted in the field of civil procedural law in relation to the interpretation and application of the judicial test institute. In order to do so, a bibliographical survey of works and period articles on the subject will be carried out, in order to offer elements for a critical analysis, presenting the respective results.

KEYWORDS: Judicial Proof; Truth; Epistemology; Civil lawsuit.

Data da submissão: 16/01/2020                  Data da aprovação: 05/05/2020


Texto completo:

PDF

Referências


AFTALIÓN, Enrique R.; VILANOVA, José; RAFFO, Julio. Introducción al derecho. Buenos Aires: Abeledo-Perrot, 2004.

BACHELARD, Gaston. A formação do espírito científico. Contribuição para uma psicanálise do conhecimento. Tradução de Estela dos Santos Abreu. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996.

BÜLOW, Oskar Von. La teoría de las excepciones procesales y los presupuestos procesales. Traducción de Miguel Angel Rosas Lichtschein. Buenos Aires: Ediciones Juridicas Europa – America, 1964. 313 p. Clasicos Del derecho procesal.

CARNELUTTI, Francesco. A prova civil. Tradução Lisa Pary Scarpa. 2. ed. Campinas: Bookseller, 2002.

CHALMERS, A. F. O que é ciência afinal? Tradução de Raul Filker. Brasília: Editora Brasiliense, 1993.

DANCY, Jonathan. Introdución a la epistemologia contemporanea. Tradução de José Luis Prades Celma. Madrid: Tecnos, 1993.

DINAMARCO, Cândido Rangel. Instituições de direito processual civil. 6. ed. rev. e ampl. v. II. São Paulo: Malheiros, 2009.

DAMÁSIO, António R. O erro de Descartes: emoção, razão e o cérebro humano. Tradução de Dora Vicente e Georgina Segurado. 3 ed. 2 reimp. São Paulo: Companhia das letras, 2012.

FAZZALARI, Elio. Instituições de direito processual. Tradução de Elaine Nassif. Campinas: Bookseller, 2006.

FERRAZ JR., Tércio Sampaio. Função social da dogmática jurídica. 2.ed. São Paulo: Atlas, 2015.

GUERRA, Marcelo Lima. Prova Judicial: uma introdução. Fortaleza: Boulesis, 2016.

HAACK, Susan. Filosofia das lógicas. Tradução de Cezar Augusto Mortari e Luiz Henrique de Araújo Dutra. São Paulo: Unesp, 2002.

HABERMAS, Jüngen. Teoria do agir comunicativo: sobre a crítica da razão funcionalista. Tradução de Flávio Beno Siebeneichler. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2012. v. 2.

______. Verdade e justificação. Tradução de Milton Camargo Mota. Loyola: São Paulo, 2004.

HESSEN, Johannes. Teoria do conhecimento. Tradução de João Vergílio Gallerani Cuter. São Paulo: Martins Fontes, 2003, p. 3-28.

KELSEN, Hans. Teoria Pura do Direito. Tradução de João Baptista Machado. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

______. Teoria Pura do Direito. Tradução de João Baptista Machado. São Paulo: Martins Fontes, 2003, p. 79-119.

MACHADO SEGUNDO, Hugo de Brito. Epistemologia Falibilista e Teoria do Direito. Revista do Instituto de Direito Brasileiro da Universidade de Lisboa. Ano 3. 2014, n.1, p. 197-260. Disponível online em http://cidp.pt/publicacoes/revistas/ridb/2014/01/2014_01_00197_00260.pdf, último acesso em 12 mar. 2016.

______. Epistemologia Falibilista e Teoria do Direito. Revista do Instituto de Direito Brasileiro da Universidade de Lisboa. Ano 3. 2014, n.1, p. 197-260. Disponível online em http://cidp.pt/publicacoes/revistas/ridb/2014/01/2014_01_00197_00260.pdf, último acesso em 12 mar. 2016.

______. Por que dogmática jurídica? Rio de Janeiro: Forense, 2008.

______. MACHADO, Raquel Cavalcanti Ramos. Prova e verdade em questões tributárias. Revista do Instituto do Direito Brasileiro, Lisboa, n. 2, ano 3, p. 1245-1280, 2014.

MARCONI, Diego. Per la verità. Relativismo e Filosofia. Torino: Einaudi, 2007.

MARINONI, Luiz Guilherme. ARENHART, Sérgio Cruz. Prova. 2. ed. rev. e atual. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2011.

MARQUES NETO, Agostinho Ramalho. A ciência do Direito: conceito, objeto, método. 2.ed. Rio de Janeiro: Renovar, 2001.

MIRANDA, Pontes de. Tratado de direito privado: parte geral. t. I. Rio de Janeiro: Borsoi, 1954

NOZICK, Robert. Invariances. The structure of the objective world. Cambridge: Harvard University Press, 2001.

OLIVEIRA, Carlos Alberto Alvaro de. Do formalismo no processo civil: proposta de um formalismo-valorativo. 4. ed. rev. atual. e aum. São Paulo: Saraiva, 2010.

PEREIRA, Guilherme Setoguti J. Verdade e finalidade da prova. Revista de Processo, São Paulo, v. 37, n. 213, p. 161-190, nov. 2012.

POPPER, Karl. Realismo. In: MILLER, David (Org.). Popper: textos escolhidos. Tradução de Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Contraponto, 2010, p. 217-222.

PRAKKEN, Henry; SARTOR, Giovanni. The three faces of defeasibility in the law. In: http://www.cs.uu.nl/groups/IS/archive/henry/ratiojuris03.pdf. Acesso em 22 de jun de 2016.

RESCHER, Nicholas. Epistemology. An introduction to the theory of knowledge. Albany: State University of New York Press, 2003.

______. Presumption and the practices of tentative cognition. Cambridge: Cambridge University Press. 2006.

SANTOS, Moacyr Amaral. Prova judiciária no cível e comercial: parte geral. 2. ed. cor. e atual. São Paulo: Max Limonad, 1952. v.1.

SCHOPENHAUER, Arthur. Como vencer um debate sem precisar ter razão: em 38 estratagemas (Dialética erística). Introdução, notas e comentários Olavo de Carvalho. Rio de Janeiro: Topbooks, 1997.

TARUFFO, Michele. La prueba de los hechos. 3.ed. Traducción de Jordi Ferrer Beltrán. Madrid: Trotta, 2009.

______. La simplice verità. Il giudice e la costruzione dei fatti. Roma: Laterza, 2009.

THEODORO JÚNIOR, Humberto. Curso de direito processual civil: teoria geral do direito processual civil e processo de conhecimento. 53. ed. rev. e atual. Rio de Janeiro: Forense, 2012. v.1.




DOI: https://doi.org/10.47096/rdpc.v1i1.90

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista de Direito Público Contemporâneo

Licença Creative Commons

A revista está licenciada quanto aos direitos autorais com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Indexada em | Indexed by | Indizada en:

Google Acadêmico

HTML tutorial
Periódicos/CAPES

HTML tutorial
 
 
Directory of Open Acess Journals


HTML tutorial


Diadorim - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras

Livre - Revistas de Livre Acesso

International Standard Serial Number International Center

Sumários

ResearchBib - Academic Resource Index